domingo, 12 de julho de 2009

Noticias Ativas Do Mundo (v.12)


Antes da invenção do papel, até pedras foram usadas.Você já parou para pensar como seria a vida sem papel higiênico? Tão simples e tão salvador. Pois saiba que ele é uma invenção recente. O papel foi inventado na China há mais de mil anos. Mas, do modo como o usamos hoje, em forma de rolo e razoavelmente macio, o papel higiênico só surgiu no século 19, nos Estados Unidos. Antes dele, os recursos variavam conforme a condição social do indivíduo e a situação de momento. Já foram usados para esse fim lã, sabugo de milho, musgo, gravetos e até pedras, além de uma infinidade de alternativas. Hoje, eles fazem parte da vida de bilhões de pessoas. E os modelos, tradicionalmente brancos, começam a ousar nas estampas.

A maldade com o atual presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi criada sem objetivos práticos, somente para divertir a oposição. Custa US$ 10 (cerca de R$ 20).

Os papéis ultracoloridos são usados conforme a ocasião: o vermelho, no Dia dos Namorados; o verde, no feriado americano de Saint Patrick; e preto e laranga, no Halloween .

Este já esteve mais na moda, quando Osama Bin Laden era o inimigo número 1 do Ocidente. Nele, está impressa a inscrição "Get rid of your shiite", que faz trocadilho com “xiita” e “shit”.

Pessoas que encaram a ida ao trono como uma batalha podem se identificar com o papel camuflado em estilo militar. É fabricado na Alemanha e custa, nos EUA, US$ 5,95.

Os japoneses são mestres na arte do origami, as pequenas esculturas feitas de papel. É possível aprender as interessantes técnicas dessa arte no banheiro. Uma história de terror foi impressa neste modelo. É uma novelinha de nove capítulos de Koji Suzuki, autor que já teve sua obra transformada em filme no Japão e em Hollywood

1 comentários:

Sra.Bates on 15 de julho de 2009 10:14 disse...

\o/ muito interessante esses papeis higienicos, porem penso se eles nao soltam tinta na sua bund* quando passa o_O
http://amostrasebrindesrecebidos.blogspot.com/

Postar um comentário